terça-feira, 25 de março de 2014

Guacamole JB




Esse vai ser meu primeiro post de uma experiência negativa no quesito comida. Alguns podem pensar: "ah, mas ela já postou sobre o desmaio dela". Sim, mas foi por causa da bebida, e dessa vez eu vou falar da comida.

Cardápio que eu não consigo deixar em pé!


Sou louca por comida mexicana, e há tempos eu queria experimentar o Restaurante Guacamole do Jardim Botânico.
Aproveitei a vinda de dois amigos queridos ao Rio, para jantarmos lá.
Escolhi minhas opções e chamei o garçom para saber se eu podia comer. Segundo ele, sim, mas sabe quando tu não fica 100% segura? Pois é...foi assim que me senti!
De qualquer maneira, aceitei pedir assim mesmo (antes que alguém questione, eu vou dizer: sim, falei para ele que eu passaria muto mal, caso aquela informação não fosse 100% correta e todo aquele velho discurso que nós, celíacos, estamos acostumados a dar e a ouvir deboches...).

Pedidos que fizemos: Totopos de carne e Nachos de carne.


Nachos de carne

Totopos de carne

A comida é uma delícia, realmente, o restaurante é super bem decorado e divertido, com músicos (esqueci o nome em español!!! alguém??).

Restaurante visto de cima




Eis queeeeee...de madrugada eu acordo com muuuita dor de barriga...mas muita mesmo. E quando começou eu já desconfiei: glúten. Eu consigo identificar a dor do glúten, porque é muito específica no meu corpo - claro que eu não sei descrever, só sei sentir. Fiquei horas com aquele vai e vem da dor...noite adentro! :(
No dia seguinte resolvi mandar um email para o restaurante. Estou até hoje - um mês inteiro - esperando resposta!!!
Se não vai responder o email, por que colocam no site para preencher e dizem que vão responder???
Claro que o fato de eu ter passado mal, me causou uma má impressão do restaurante, mas o que me deixou mais mal foi a falta de retorno, até porque eu trabalho com isso, então não dar retorno me incomoda, e muito!!
Pooode ser que, não tinha glúten realmente, o garçom estava certo e, finalmente, a lactose começou a me fazer mal. Pode ser, mas eu não tenho certeza, primeiro porque não recebi retorno, segundo porque (como falei anteriormente) a dor do glúten, em mim, é muito específica. Mas, acho que certeza mesmo, só depois de outros testes de lactose....

Como eu sou bem chata para comer, especialmente devido às minhas restrições, eu acho bem difícil encontrar um bom restaurante mexicano aqui no Rio, e infelizmente eu me senti na obrigação de compartilhar não só experiências boas, mas as ruins, para evitar que outras pessoas passem mal, assim como eu!
Mas eu, em seguida, vou colocar aqui, um post de um restaurante bom, mexicano e de confiança, daqui do Rio! :) Ainda estou procurando, se alguém tiver dicas!





sábado, 8 de fevereiro de 2014

Outback




Eu já sabia que o Outback tinha cardápio sem glúten, mas nunca tinha ido provar por não ser uma grande fã desse restaurante.

Então, surgiu um aniversário lá e eu aproveitei a oportunidade para conferir.

É só pedir para o garçom o cardápio sem glúten que eles te trazem. Eu achei que fosse um cardápio com comidas especiais, mas não, no cardápio diz o que podemos comer dos pratos servidos por eles. Achei interessante essa proposta.

Não acredito que seja livre da contaminação, pois sabemos que aqui no Brasil a consciência e o conhecimento sobre esse tema é quase nula.









Cinnamon Apple


Eu pedi uma Ribs on the Barbie: costelinha de porco ao molho barbecue...me lambuzei comendo!!!!
No cardápio diz para não comer as Cinnamon Apples, até tire foto delas para saberem o que é.




Dica: esse prato é muito grande! Sá pra duas pessoas comerem muito bem e se a fome não for tanta, talvez 3 pessoas comam.










quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Contaminação Cruzada

Mais um post que não é sobre algum restaurante na página principal, porque eu acho o assunto bem importante.
Recebi vários emails, muitas pessoas entrando em contato me perguntando o que é a contaminação cruzada. Por isso resolvi fazer esse post.
Vou explicar de uma maneira bem simples:
Hoje minha mãe resolveu fazer pão em casa...jogou farinha no balcão e sovou bem aquele pão e o colocou para descansar. Depois que ela terminou, ela passou somente um pano no balcão e começou a sovar um pão sem glúten, especial para mim. O meu pão sem glúten, continua sem glúten?
E a resposta é: o meu pão foi contaminado pelo glúten do pão anterior.
Isso é a CONTAMINAÇÃO CRUZADA.

Já que o glúten faz mal, vamos, pelo menos, babar no muso!!!!

É por isso que, os restaurantes devem ter uma cozinha especial para fazer alimentos sem glúten e as empresas de alimentos devem ter fábricas somente para a produção de comida sem glúten.
No Brasil, sabemos que é difícil sermos atendidos 100% nos restaurantes, mas o mínimo de cuidado é necessário.
Ter utensílios separados, evitar servir o arroz com a mesma colher que serviu penne, por exemplo.

Não, não é bobagem...eu em São Paulo, ano retrasado, comi uma polenta frita e passei mal. Por quê? Pois ela é frita no mesmo óleo que frita o pastel, o bolinho de bacalhau (que inventaram de colocar farinha não sei por qual motivo), entre outras coisas.

Então, sempre que você for receber um amigo em casa, ou for convidá-lo para comer, lembre-se da contaminação cruzada. Se for fazer uma pizza, ou faz pizza sem glúten, ou usa fôrmas diferentes e assa primeiro a sem glúten! ;)

Espero ter esclarecido!! Se ainda tiverem dúvidas, entrem em contato por email, facebook, twitter, instagram, telefone...mas não fiquem com dúvidas gente!! É importante!!!



segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Le Blé Noir - Copacabana

Fazia muito tempo que eu queria ir neste restaurante provar, finalmente eu consegui!!!
O Le Blé Noir é um restaurante intimista, pequeno, com uma decoração super charmosa e (o melhor de tudo) tem no cardápio crepes feitos com trigo sarraceno, ou seja, SEM GLÚTEN!!! Quando eu fiquei sabendo, morri de vontade de ir comer. Confesso que com receio, maaassss a curiosidade sempre me manda!! Finalmente eu fui!!
Bem orientada pelos garçons, de cara já fiquei sabendo que os doces não podemos comer, pois são feitos com trigo. Somente os salgados. Fiquei mais empolgada, porque assim eu evito comer doce! hehehe...
Ao abrir o cardápio eu fiquei confusa e feliz, pois vou ter que voltar para experimentar outras opções! A variedade vai de peito de pato ao camarão, passando por figos caramelizados com queijo de cabra.
Hummm...amo doce com salgado...adivinhem a minha escolha?!


Bon appétit!!!

Escolhemos 3 opções: Binic (de filé de atum), Ouessant (figos caramelizados ao vinho do porto com presunto de cabra e queijo de cabra) e Loctudy (de vieiras).
Cada prato é super bem servido e dá pra duas pessoas (a não ser que a fome seja muito grande).



Galette Binic

Galette Loctudy

Galette Ouessant

DICA: Lá, por ser pequeno, está sempre cheio. Recomendo chegar cedo.

Os moradores da Barra da Tijuca também contam com um Le Blé Noir. Zona Sul e Zona Oeste. Não tem desculpa para deixar de experimentar esse restaurante!!!

Le Blé Noir
Copacana
Rua Xavier da Silveira
Tel: 2287 1272
Barra da Tijuca
Av. Lucio Costa, 1976
Tel: 2493 5668

Espero que gostem!! Boa semana!!!

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Lima



Plaza de Armas - Lima
De Cusco partimos para Lima para mais 4 dias de viagem.
Fui sem expectativa e fiquei surpresa com cidade e fiquei chocada com a limpeza!! Demais!! Super recomendo ir à Lima quem for ao Peru.
As opções de restaurantes por lá são várias, não conseguimos ir em todos que nos indicaram. Faltou dia para tantos restaurantes!




Fomos na Larcomar, que é um shopping aberto, na beira mar.
Lindo o shopping, que vale a pena ser visitado de noite e de dia.

Ali escolhemos o restaurante La Bomboniera. Um lugar super charmoso que serve pratos maravilhosos, e tem um detalhe que a gente amou: sentamos do lado de fora e eles deixam cobertores para aquecer os clientes!! Uma delícia!!!






Dificil foi escolher os pratos!! Como sempre!! hehehe
De entrada pedimos uma Tortilla Española que eu amo!!!

Tortilla española

 Eu escolhi um Risotto de Lomo a la Crema de Ajíes como prato principal que estava E-S-P-E-T-A-C-U-L-A-R!!!! Umdos melhores pratos da viagem!! Super indico!!! Fiquei com água na boca só de olhar para essa foto!!!
E de sobremesa: Crème Brûllée!! Esse doce me ganha sempre!! Bah como eu gosto!!!
O garçom foi super simpático e me orientou sobre o que eu podia comer.







Restaurante La Rosa Náutica 



No dia seguinte, fomos caminhando até a orla de Miraflores e de lá pegamos um táxi para o restaurante La Rosa Náutica para almoçar. Quem for para lá não pode deixar de ir nesse restaurante. Primeiro porque ele é lindo! Segundo porque ele fica estrategicamente localizado em um pier! E terceiro porque a comida é simplesmente maravilhosa!!!

O maître foi super atencioso ao me atender, me disse o que eu podia comer e quando nos serviram a sobremesa ele veio e falou mais uma vez que um daqueles pratos eu não poderia comer! Fiquei muito feliz!!!
Pedimos as rondas, que como se fosse um mix de entradas. Assim experimentamos várias opções. Sem palavras! As fotos dão água na boca né?







De sobremesa eu só podia comer uma opção: Chirimoya alegre (chirimoya é uma fruta típica do Peru) chirimoya ao natural, gomos de laranja, morango e licor de laranja. Eu achei bem interessante!!






De noite fomos ao bairro boêmio Barranco. Era nossa última noite e queríamos conhecer algum bar legal.
Depois de entrar em um bar-restaurante bem legal, tivemos que ir embora pois não tinha nenhuma opção de comida para mim.

Encontramos um restaurante super charmoso e foi onde jantamos: La Trastienda.


Há algumas opções de pratos que podemos comer, eu escolhi, mais uma vez, um Risotto a la Chiclayana con magret de pato a la naranja.
Bem gostoso (mas o primeiro risotto estava muito melhor)!


Risotto

La Trastienda

E no nosso último dia almoçamos no Rústica, também no bairro Barranco, um restaurante buffett só com pratos típicos. Mais uma vez fui acompanhada pelo chef por todos os pratos para saber o que eu poderia comer. Eta povo simpático!! Não canso de falar!
Até show ao vivo teve no restaurante, muito divertido!

Meu super prato com ceviche, maíz,batata doce e uma salada de batata diferente

Sobremesa tradicional

Vai dizer que não ficou com água na boca?? ;)

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Cusco - Parte II


Praça das Armas
Buenas, antes de falar de Machu Pichu Pueblo, vou finalizar as dicas de Cusco.
Ficamos mais duas noites em Cusco depois de voltarmos de Machu Pichu.
Nesses dois dias, mudamos um pouconossa programação. Tomávamos café da manhã (reforçado) e ao longo do dia ficávamos com snacks, assim não  perdíamos tempo, e à noite jantávamos com todo o requinte e glamour que nos pertence hehehe...

No nosso terceiro dia chegamos tarde de Machu Pichu. Até fazer check in e nos arrumarmos eram quase 23h. Saímos à procura de um restaurante aberto, pois estávamos com muita fome!!

El Mesón



Encontramos o El Mesón que fica na Praça das Armas. Eu pedi um Antichuco de Pollo com papas fritas (uma big porção que daria para duas pessoas comerem). Foi o prato que eu pedi sem a menor expectativa e amei!! O frango super bem temperado, uma delícia!! Tirando as batatas fritas, jantar era bem light.





Antichuco de Pollo y Papas Fritas



O antichuco nada mais é que espeto de carne com legumes (pimentão e cebola) assados.
Imaginem essa gaúcha comendo um espetinho em pleno Peru???
:D








No nosso penúltimo dia dia em Cusco fizemos o City Tour que durou o dia inteiro e deixamos para ir no melhor restaurante na última noite! Claro!!!! O Restaurante Limo também fica na Praça das Armas e serve comidas típicas peruanas.
Papas ôrganicas

Fantástico!


Me surpreendou com o 'couvert' oferecido pela casa: batatas ôrgânicas com 3 molhos! Eles são amigos dos celíacos!!! (por que nunca pensaram nisso antes aqui no Brasil??)



Molhos para as batatas



















Pedimos 3 petiscos diferentes, assim experimentamos 3 pratos diferentes: tiradito de pulpo (esse comemos em Santiago e amamos!), um ceviche cinco elementos e de entrada 'caliente' lagostinos em crosta de quinoa.
Eu não sei te dizer qual deles era o melhor, eu sei que eu amei esse restaurante e eu indico de olhos fechados!!

 
Lagostim em crosta de quinoa e molho tártaro

Ceviche 5 elementos

Tiradito de Pulpo

Ai fiquei morrendo de vontade de comer de novo! Vai me dizer que não ficou com água na boca???

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Cusco - Parte I

Ruela de Cusco

Bom vamos falar de Cusco?
Cusco é uma cidade muito alta, com 3400m de altitude. Eu fui para lá com várias dicas no caso de passar mal. Cheguei no aeroporto e não senti nada, pensei que era bobagem e exagero dos outros. Mas já cheguei no hotel e tomei meu chá de coca, só para prevenir.
Depois de feito nosso check in, fomos almoçar...foi aí que começou! A cidade tem muitas ladeiras e acaba exigindo um certo esforço físico. Eu quis manter meu ritmo de passadas que dou normalmente e já senti falta de ar e uma leve tontura. Diminuímos o passo para não passar mal. E como se não bastasse a esperta foi atravessar a rua correndo e PÁ: teto preto pra ti Nena! Respirei fundo, me segurei, voltei ao normal e vi que o negócio não era brincadeira e nem frescura dos outros.
Restaurante Santa Cata


Nosso almoço foi no restaurante Santa Cata, um buffet que nos foi indicado pelo nosso guia Frank e onde servem vários pratos típicos.
Lá, como aqui no Brasil, não há informação nos cardápios ou buffets do que contém ou não contém glúten. O negócio é perguntar. Nem todos são bem informados, mas diferente daqui, todos, sem exceção, são muito solícitos e se dispõe a ajudar. E no momento que eles não sabem, o chef é chamado para te auxiliar. Foi o que aconteceu comigo em TODOS os restaurantes que eu fui.




No Santa Cata comi ceviche e experimentei os tamales cusqueños (que parecem uma pamonha) e Quinotto (que é um prato de quinoa). 
Aliás, existem muitas opções de pratos com quinoa, todos diferentes e deliciosos!







Ceviche

Tamales cusqueños (enrolados na folha) e Quinotto



Eu passei muito mal lá devido altitude e por isso eu comi muito pouco. E eu emagreci...alguém conhece alguma pessoa que viaja de férias e ela volta mais magra? Pois é...vá para o Peru. Isso aconteceu comigo e com as minhas amigas! Deve ser o país! :D
De noite faz muito frio em Cusco, por volta de 2º graus (ou menos), queríamos sempre comer coisas quentes para nos aquecer. Nas duas primeiras noites meu jantar foi uma sopa de legumes no restaurante La Trattoria. Neste lugar deve ter contaminação cruzada, pois como o próprio nome mostra, é um restaurante italiano. Mas era o que precisava naquele momento.


A sopa estava deliciosa e o restaurante fica bem próximo à Praça das Armas.
Depois dessa Trattoria fomos conhecer o Museo del Pisco que é um bar-restaurante super descolado. São 3 andares - no subsolo e no 3º é restaurante e no 1º bar com música ao vivo. Aqui pedimos um vinho para nos aquecer e um prato de salame de cerdo e lombo de alpaca. Eles servem com torradas, mas é só avisar que eles as trazem à parte. Achei muito interessante a carne de alpaca. Gostei e recomendo!!

Salame de cerdo e Lombo de alpaca

No dia seguinte fomos fazer o passeio do Valle Sagrado e o almoço estava incluído. Aqui os chefs que preparam cada sessão me acompanharam e me explicaram o que eu poderia comer. Então fica difícil especificar pois o cardápio muda diariamente. Mas compartilho as fotos. Como sou uma curiosa, comi todas as coisas diferentes que eu podia!!

Meu prato com muita salada e a quinoa ali ó!! :D



Sobremesa: Compota de Sachatomate



De noite voltamos para o hotel muito cansadas, e só conseguimos ir no restaurante na frente do hotel Inka House, para jantar. Mais uma vez eu me rendi à sopa: Chupe del Inka - uma sopa típica com vários produtos originais de lá. Bem gostosa e sem glúten!

Chupe delInka




Caso estejam se perguntando eu senti muita dor de cabeça. Dor forte e constante. Vivi a base de remédio senão minha cabeça explodiria. E outra coisa que me incomodou: o meu doce e velho amigo estômago (por isso, nos primeiros dias passei a sopa e coisas mais leves). Fiquei inchada praticamente todos os dias. E eu ainda não sei se era da altitude ou se a comida lá sofre contaminação cruzada. Será que algum médico pode me ajudar a matar essa charada?
Só me adaptei no último dia. Foi o único que não inchei e não tive dor de cabeça. Os pulmões se adaptaram no segundo dia.

Tem mais informações que vou postar aos poucos!! Espero que gostem das dicas!! :D